“Estou sem dinheiro agora, posso pagar o salgado outro dia?”. Esse tipo de situação, infelizmente, é bastante normal na rotina de quem tem um negócio de salgados. A venda fiada é uma prática antiga, mas que ainda perdura principalmente em pequenos comércios.

Ela consiste em se vender o produto e não receber o pagamento no ato, baseando-se na confiança e na promessa de que o cliente voltará e sanará sua dívida. Para evitar o risco de perder a venda, muitas pessoas acabam aceitando essas situações e fazem a venda fiada. No entanto, isso pode trazer sérios prejuízos.

A falta de pagamento – seja por má-fé, esquecimento por parte do cliente ou qualquer outro motivo – acaba gerando uma imprevisão no fluxo de caixa e mesmo prejuízos financeiros para o empreendedor. 

Para que você não passe mais por isso, confira, neste artigo, dicas para se livrar da venda fiada. Acompanhe a seguir.

1. Tenha em mente: amigos, amigos… negócios à parte!

A primeira mudança deve acontecer na mente do empreendedor. Ele precisa compreender que a venda fiada compromete seu negócio e deve ser evitada ao máximo – mesmo quando envolve familiares, conhecidos ou amigos.

Para esse tipo de público, fazer a cobrança da dívida costuma ser ainda mais desgastante, podendo levar não apenas à perda do cliente, mas também da relação com essa pessoa.

Portanto, mesmo sob apelos do tipo “você não confia em mim?”, procure não vender fiado para sua rede de contatos. Sempre explique que essa decisão não tem relação com confiança, mas com a profissionalização de seu negócio, que precisa ter fluxo de caixa e lucro para continuar operando.

2. Avalie utilizar um sistema de gestão ou mesmo aplicativos

Além de gerar diferenciais, de automatizar atividades e de agilizar sua rotina, a tecnologia também pode ser aplicada para você se livrar da venda fiada. Um sistema de gestão ou mesmo um app com função financeira pode ajudá-lo, por exemplo, a emitir boletos e a trabalhar com outras formas de pagamento. E isso ainda pode gerar o argumento extra de que a venda não será registrada no sistema se não entrar com essas formas de pagamento, o que inviabiliza a transação fiada.

3. Para se livrar da venda fiada, trabalhe com mais de uma forma de pagamento

Criar condições que desestimulem o cliente a pedir fiado, oferecendo alternativas de pagamento também é uma boa solução. Hoje em dia, muitas pessoas não andam mais com dinheiro na carteira, o que pode impossibilitar a venda à vista.

Assim, para conquistar mais clientes e não motivar a venda fiada, trabalhe com outras formas de pagamento. O cartão de crédito ou de débito é uma ótima possibilidade. Há também aplicativos de carteira digital, como PayPal e PicPay que podem ser boas ideias para os clientes modernos que passam o dia todo conectados. 

4. Comunique claramente que você não faz venda fiada

É importante deixar em local visível no seu ponto de venda um aviso de que você não trabalha com venda fiada. Essa é uma ação bem simples, mas que desestimula situações de pedidos fiados.

5. Para pedidos maiores, o adiantamento parcial é uma boa solução

Se o cliente está organizando uma festa ou quer fazer um pedido maior de doces ou salgados, mas não tem o valor total para pagar na encomenda, você pode solicitar um adiantamento do pagamento de parte do valor.

Esse recurso irá dar uma garantia maior de que o cliente irá acertar seu débito e, em caso negativo, apresentar um prejuízo bem menor do que o da venda fiada.

6. Faça promoções

Há diversos casos nos quais a falta de pagamento não ocorre meramente por má-fé do cliente – a crise financeira é uma ameaça que bate à porta de todos. Assim, para lidar com essas instabilidades sem perder vendas, estude fazer promoções em seu estabelecimento.

Há empreendedores que conseguem vender salgado a R$ 1,00 e ter uma boa lucratividade. Portanto, avalie seus custos e margens de lucro e, quando possível, faça promoções para atrair clientes e evitar a venda fiada.

E em seu negócio de salgados, você faz venda fiada? Para saber mais sobre como garantir a saúde financeira do seu empreendimento, confira nossas dicas para não faltar dinheiro no seu negócio. Até a próxima!