De acordo com dados do Portal do Empreendedor, há mais de 7.560.400 pessoas inscritas via portal como MEI – microempreendedor individual. O número expressivo reflete as vantagens trazidas por essa que é a forma mais prática e menos burocrática de tirar negócios da irregularidade, o que tem estimulado cada vez mais o brasileiro a abrir um MEI.

Esse regime empresarial é voltado a pessoas que querem começar a empreender ou que trabalham por conta própria e querem legalizar seu negócio e ter acesso a benefícios como a Previdência Social. É o seu caso?

Então, continue a leitura e descubra mais sobre o microempreendedor individual e como abrir um MEI para seu negócio de salgados. Acompanhe!

O que é MEI?

O Microempreendedor Individual (MEI) surgiu em 2008, a partir da Lei Complementar nº 128 que instituiu esse regime empresarial. Tal iniciativa foi implementada a fim de simplificar a formalização de autônomos e empreendedores individuais no país que, a partir disso, passaram a contar com um CNPJ e benefícios jurídicos e previdenciários que não estavam disponíveis na informalidade – e sob um custo mensal bastante acessível.

No entanto, para ser MEI, o microempreendedor não pode ser sócio ou titular de nenhuma outra empresa. Quem atua como servidor público deve checar se a sua legislação específica permite a opção por esse regime empresarial.

Por que abrir um MEI?

Ao abrir um MEI, você poderá formalizar o seu negócio de salgados, torná-lo legalizado será benéfico de diversas formas. De acordo com estudo do Sebrae, formalizar o negócio pode trazer um aumento considerável para o faturamento de seu empreendimento.

Além disso, outra vantagem é que os negócios formalizados como MEI contam com segurança jurídica de leis para protegerem o empreendimento como pessoa jurídica, você poderá emitir nota fiscal para atender empresas, obter acesso a crédito e financiamento bancário e contratar um funcionário via CLT para ajudá-lo na produção ou venda de salgados.

Ainda, seu negócio de salgados terá mais credibilidade no mercado, ajudando a melhorar sua imagem e a captar mais clientes.

Para o microempreendedor, há outras vantagens como:

  • Direito à aposentadoria por idade ou invalidez.
  • Salário-maternidade.
  • Auxílio-doença.
  • Pensão por morte (para sua família) e auxílio-reclusão.

Como abrir um MEI?

Abrir um MEI e começar a usufruir desses benefícios é muito mais fácil do que você imagina!

1. Faça um levantamento de seu faturamento

Podem abrir um MEI negócios dentro do limite de faturamento anual de R$ 81.000,00. Assim, se você já atua informalmente, é importante ter a certeza de que seu faturamento encaixa-se nesse limite.

2. Realize uma pesquisa

Antes de abrir um MEI, é importante conhecer os tipos de negócios permitidos nessa categoria. No portal, você poderá fazer essa pesquisa para identificar também qual será a atividade principal e as secundárias de seu negócio – podem ser cadastradas até 15 secundárias.

No segmento alimentício, há categorias como: salgadeiro (a) independente, fabricante de amendoim e castanha de caju torrados e salgados independente, fabricante de alimentos prontos congelados independente, entre outros.

Ainda, também é importante checar na prefeitura de sua cidade se a atividade em questão é permitida no seu endereço para conseguir posteriormente seu alvará definitivo de funcionamento.

3. Faça seu cadastro

O cadastro para abrir um MEI deve ser feito diretamente no site Portal do Empreendedor, na área Formalize-se.

Lá, você preencherá um formulário simples, com dados como CPF, data de nascimento, título de eleitor, entre outros.

Também será solicitado que você informe o Nome Fantasia de seu negócio. Consultar o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) e a Junta Comercial, quanto à disponibilidade do nome é importante.

4. Imprima seu certificado

Após finalizar o preenchimento da ficha virtual, você receberá imediatamente seu CNPJ e um certificado de microempreendedor individual.

Você poderá emoldurá-lo e exibi-lo em seu ambiente de trabalho ou futuro ponto de venda para demonstrar aos clientes que seu negócio é formalizado.

5. Organize-se para o pagamento dos custos mensais

O MEI deve pagar mensalmente o custo de R$ 47,85 (comércio ou indústria) ou R$ 51,85 (prestação de serviços) ou R$ 52,85 (comércio e serviços). Esses valores correspondem ao INSS, mais R$ 5,00 (Município – Prestadores de Serviço) ou R$ 1,00 (Estado – Comércio e Indústria).

Ainda, podem ser cobradas, também, taxas estaduais/municipais, dependendo de onde você atua e de seu ramo de atividade.

O MEI é realmente uma boa oportunidade de iniciar, legalizar e profissionalizar ainda mais o seu próprio negócio. Por meio dele, você e sua empresa passarão a contar com uma série de benefícios que poderão melhorar sua qualidade de vida e possibilitar o crescimento de seu empreendimento.

E então, pronto para abrir um MEI? Se você gostou do conteúdo de hoje, também irá gostar de aprender mais sobre como empreender no ramo de salgados. Confira e comece já a planejar o seu negócio!