Muitas pessoas sonham em abrir o seu próprio negócio, mas ficam com receio da burocracia para abrir uma empresa. No entanto, com o programa Microempreendedor Individual (MEI), conseguir um CNPJ se tornou em uma tarefa fácil e rápida.
Além disso, o mercado está favorável ao empreendedorismo, principalmente com a melhora da economia, inflação em baixa e o aumento do poder de compra da população.
Com esse cenário, criamos um pequeno guia de como você pode abrir sua empresa e ainda vamos dar uma idéia para você começar agora mesmo o seu próprio negócio. Acompanhe!

O planejamento é o primeiro passo de qualquer negócio. É muito melhor errar no papel do que com a empresa já aberta e funcionando. É no plano de negócios que você irá descrever em detalhes como será o seu empreendimento.
A partir da sua ideia inicial, você irá pensar na área de atuação, quais serão os seus produtos, definir seu público-alvo, estudar a concorrência, pensar no seu diferencial, contabilizar o volume e a sua perspectiva de crescimento, além de definir se irá precisar de funcionários e fornecedores.
Com essas informações, você terá uma visão global da sua empresa, permitindo planejar o futuro e aumentar a sua segurança quanto ao sucesso do negócio. Além disso, caso precise de crédito, um plano de negócios irá ajudar a você conseguir muito mais facilmente um financiamento junto a uma instituição financeira.

Os tipos de empresas

O tipo da empresa dependerá da sua previsão de faturamento. A partir de 2018, caso opte por ser MEI, o teto de faturamento será de R$ 81 mil por ano, algo em torno de R$ 6.750,00 por mês. Caso esse limite seja ultrapassado, o negócio será enquadrado como micro ou pequena empresa, com o limite anual de R$ 4,85 milhões. Para se registrar como MEI, basta apenas acessar o http://www.portaldoempreendedor.gov.br/Portal do Empreendedor.

O processo é todo feito via internet e irá requerer apenas informar os números do seu CPF, data de nascimento, endereço, título de eleitor ou o recibo da última declaração do imposto de renda, caso tenha declarado nos últimos dois anos. Não é necessário anexar nenhum desses documentos durante o cadastro.
No sistema é possível marcar as atividades principais e secundárias e onde você irá atuar (em casa, endereço comercial, via internet). Também será necessário ler e concordar com algumas declarações. Ao final do processo, você terá acesso ao certificado de condição de MEI, que contém o seu CNPJ, o registro na Junta Comercial e o alvará provisório de funcionamento.

No caso de uma micro empresa serão necessários registros na prefeitura do município, no Estado, na Receita Federal e também na Previdência Social. Dependendo da atividade, também pode ser necessário registro em Entidade de Classe, na Secretaria do Meio-Ambiente, entre outros órgão de fiscalização.
Diferente do MEI, que dispensa o uso de contador, para uma microempresa, é aconselhável contratar um serviço de contabilidade para formalizar e manter a empresa operando de acordo com a legislação tributária atual.

Dica de negócio

Para quem está pensando em empreender, mas ainda não escolheu qual sua área de atuação, uma ideia de negócio é apostar no mercado alimentício. Hoje, uma máquina de fazer salgados pode realizar o seu sonho de abandonar o seu emprego atual e ser dono do seu próprio negócio.
A correria do mundo moderno e a necessidade de preparo rápido de alimentos tem contribuído para o mercado de produtos prontos ou congelados. Como empreendedor, você pode vender seus salgados tanto para pessoas físicas, quanto para empresas.
Você pode oferecer produtos a base de carne, aves, peixes e vegetais, massas, sobremesas e salgados para festas. Dessa forma, com o uso de uma maquina de salgados, a sua produção aumenta, gerando mais qualidade para o seu produto e criando novas oportunidades de mercado.

Gostou desse post? Ficou com alguma dúvida de como abrir seu negócio? Compartilhe conosco nos comentários e não deixe de compartilhar esse post em suas redes sociais.